05 outubro 2007

Falência da escola pública?

Na minha opinião existe um esquema sutilmente montado para a educação na escola pública não funcionar. Não seria do interesse de certos governantes, nem da elite que sempre dominou esse país. Cidadãos pensantes são perigosos. E sinto que uma das estratégias é essa: jogar um professor contra o outro, pra enfraquecer a classe. É claro que existem os professores menos comprometidos, os professores desanimados e também alguns poucos que lhes falta moral como em toda classe de gente, mas considero que isso no geral é resultado do tratamento recebido ao longo dos anos, da falta de estímulo, da falta de valorização.Nem todos os professores são auto didatas, buscam formação por conta e risco. Ficar recriminando-os não contribui em nada para o crescimento da escola, só reforça o enfraquecimento dela. Na falta de iniciativas dos gestores, precisamos, nós, colegas que estamos na ponta, tentar resgatar os que estão lá atrás, mesmo muitas vezes sendo literalmente perseguidos por eles pelas nossas inovações . Temos de considerar que é muitas vezes por ignorância pura. E tirá-los da ignorância também é nosso papel, já que conseguimos caminhar um pouco à frente.Precisamos cuidar disso e estar atentos. A sociedade poderá pagar um alto preço pelo descaso com a educação. A escola pública precisa ser a garantia do acesso à educação para todos, oferecendo qualidade de forma a realmente preparar gente para o exercício da cidadania. Ou então seremos eternamente manipulados como marionetes.

7 comentários:

  1. Oi Marli!
    Cristovan Buarque escreveu o artigo "Falta Querer" que aponta a falta de interesse de governantes e elite como um dos motivos para a educação "não dar certo" no Brasil. Acho que vc vai gostar do artigo! Ele está no blog do senador: http://www.cristovam.com.br/index.php?secao=secoes.php&sc=8&id=4288
    Um abraço
    Miriam

    ResponderExcluir
  2. Miriam!
    Amei o artigo. Obrigada pela dica.As idéias fecham , não? O que me preocupa é que tem gente fazendo o jogo dos outros e nem percebe. Precisamos debater mais sobre isso e tentar conscientizar mais gente.Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Muita gente ainda acha que a educação não pode salvar um país. Mas um país não pode ser salvo por maus professores e má infra estrutura. Por isso, é hora de valorizarmos esta classe tão desrespeitada. Beijos Marli e tudo de bom pra ti.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Marli. Em primeiro lugar, parabéns pela bela (e justa!) homenagem recebida no Concurso Educarede. Sei que és merecedora porque tens garra, coragem e convicções que vão além do cotidiano mesquinho com que temos nos esbarrado na educação. E por falar em educação, muito oportuno teu comentário postado aqui. Acho que a educação pública gaúcha vive seu ápice: de desmandos, de pavor, de hipocrisia, de ignorância. Neste "rodo", como já deves saber, fui afastada do NTE por não concordar com a pequenez de alguns "superiores". De qualquer forma, GRACIAS A LA VIDA, pela consciência de saber que "nada vale a pena quando a alma é pequena". Bj com muita saudade, Sônia

    ResponderExcluir
  5. Sônia!

    Obrigada pelas tuas palavras. Não sabia que estavas afastada do NTE.Fico triste e lamento muito esse fato, porque sei da excelente profissional que és.Isso só faz confirmar o que já sabemos. É difícil ser levado a sério, mesmo fazendo um trabalho comprometido. Que pena! Mas levante a cabeça , que nada como um dia após o outro. Um abração!

    ResponderExcluir
  6. Faltam professores no Brasil.
    Marli, o Brasil já está pagando o preço pelo descaso com a educação pública. Um relatório da Câmara de Educação Básica alerta para uma ameaça que paira sobre o ensino médio, no Brasil.
    Para enfrentar o problema, o país precisa de professores. Segundo o Ministério da Educação, faltam 250 mil professores no ensino médio. Principalmente nas áreas de Física, Química, Matemática e Biologia.
    Além do fraco investimento em educação, o relatório aponta três outras causas importantes para o déficit de professores no ensino médio: salário baixo, violência nas escolas e a falta de uma perspectiva profissional.
    Enfim, fica claro que a falta de profissionais para as funções mais qualificadas de empregos, no Brasil, fruto da desvalorização intencional do professor, já está atingindo, sim, a economia do país.

    ResponderExcluir
  7. Olá Bergue!

    Concordo contigo. Também tem professores que estão trocando de função, partindo pra outra. Precisamos de mais apoio, mais investimento, mais valorização em todos os sentidos. Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e participação.Volte outra vez, estarei esperando! Esse espaço é para a sua participação respeitosa e aberta.
Para publicar o comentário, escolha uma identidade (ID) entre as opções que aparecem. Caso tenha conta no google(gmail), escolha a primeira opção ou então escolha ;Nome/ URL;, basta preencher o nome, caso não possua nenhum endereço de blog próprio(URL)