26 maio 2007

Internet na Educação

A propósito do questionamento do post anterior, por coincidência, na matéria A Internet no Banco Escolar(indicada na lista de discussão blogs educativos) , especialistas, entre eles Armando Valente, discorrem sobre o mesmo tema, aprofundando alguns aspectos que destaquei no meu depoimento. Sugiro a leitura , no site da Revista Pesquisa.

"Dez anos depois do início da massificação da internet, alguns educadores consideram que a influência ou presença da internet na educação escolar não se faz notar com destaque. Os usos existentes são ainda muito limitados, não exploram os verdadeiros potenciais da internet, como ressalta José Armando Valente. Em muitas escolas o uso tem sido restrito à procura de informação em portais disponibilizados pela instituição. Para conter distorções e mau uso dessa ferramenta, ele sugere que a mesma tem de estar a serviço de processo de resolução de problemas, desenvolvimento de projetos e meio de interação entre aprendizes e entre o aprendiz e especialistas."

11 comentários:

  1. Fiquei aqui pensando... como que a internet não se faz notar com destaque na educação??? Há alguma coisa errada!!! Será na escola?
    Na minha vida a Internet provocou transformações incríveis, acrescentou possibilidades e proporcionou o desenvolvimento de habilidades.
    Nos meus alunos, contribuiu para o desenvolvimento da linguagem escrita, no raciocínio lógico, na capacidade de ler, interpretar e selecionar informações...
    Até quando a Internet será usada somente para pesquisas 'orientadas' e como 'videogame' para jogos online nas escolas?

    ResponderExcluir
  2. Sindy!
    Posso dizer que minha vida profissional e até pessoal se divide em antes e depois da internet. E tudo se resume numa palavra: interatividade. Creio que o processo é lento , o das pessoas descobrirem que têm capacidade de transformar. Fomos educados para sermos passivos e o processo de desconstrução dá trabalho. Estamos na ponta , precisamos abrir o peito com coragem e levar adiante essas idéias. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Fico triste em perceber isso no dia-a-dia, infelizmente muitos professores apenas substituiram o local de pesquisa(se o q acontece pode ser chamado de pesquisa)...fico ainda mais preocupada pq muitos não fazem isso pq querem mas pq são despreparados e tem sim medo do novo, alguns sentem dificuldades e não tem o aluno como um parceiro.
    Mas temos q ser otimistas e continuar a divulgar trabalhos com o uso da INTERNET, e mais temos q multiplicar o que sabemos.

    ResponderExcluir
  4. Sergio9:29 PM

    Olá Pessoal!!
    Alguém me corrija se eu estiver muito enganado. Mas os educadores sempre chegam por último quando falamos de utilização de tecnologias.
    Assim aconteceu com o rádio, a TV, o videocassete. Primeiro são os técnicos, depois os comunicadores, e chegamos nós meio atrasados. Aconteceu com a TV: primeiro os programas duros, sem qualidades comunicativas, sem estética. Aí chegam os comunicadores e dão uma melhorada e carregam na comunicação. Os programas voltados para a educação chegam mais lentos.
    Não é diferente com a internet. Somente agora estamos aprofundando as possibilidades de interatividade e aplicação para a educação das mídias digitais. E olha quanto tempo já estão os técnicos e comunicadores nessa vida de internet!.
    Somos lentos sim, como filete d'água que desce a montanha e não se detém diante de qualquer obstáculo. Que desvia, supera e continua. E se alegra ao encontrar mais filetes, córregos e riachos seguindo na mesma direção. Encontro vocês no mar!!!
    Sergio

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Linda metáfora, Sérgio! Lembrei de outra do João Cabral de Mello Neto:
    Tecendo a Manhã
    Um galo sozinho não tece uma manhã:
    ele precisará sempre de outros galos.
    De um que apanhe esse grito que ele
    e o lance a outro; de um outro galo
    que apanhe o grito de um galo antes
    e o lance a outro; e de outros galos
    que com muitos outros galos se cruzem
    os fios de sol de seus gritos de galo,
    para que a manhã, desde uma teia tênue,
    se vá tecendo, entre todos os galos

    E se encorpando em tela, entre todos,
    se erguendo tenda, onde entrem todos,
    se entretendendo para todos, no toldo
    (a manhã) que plana livre de armação.
    A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
    que, tecido, se eleva por si: luz balão.

    Beijo no coração!

    ResponderExcluir
  7. Olá Marli o texto de Valente é bem importante quando ele nos coloca que não estão sendo explorados os verdadeiros recursos que a internet nos proporciona. Sabemos que o uso dessa ferramenta nos coloca diante de um mundo de informações e nos oferece uma infinidade de opções para que seja possível utilizá-la como recurso para a construção da aprendizagem

    ResponderExcluir
  8. Oi, Marli,
    Trabalhar com a internet com alunos sem ser apenas como uma busca de informações e sim utilizá-la como um meio de trabalho colaborativo e integração de mídias é um grande desafio para muitas instituições educacionais.
    Parabéns pelo seu blog, as informações aparecem de forma clara e possíveis de criar uma boa discussão.
    Sou aluna da UFGRS em TICs na promoção da aprendizagem e visitar blogs foi uma proposta de atividade para nós.
    Flávia

    ResponderExcluir
  9. Olá Pessoal, adorei as discussões e concordo especialmente com Marli e Sergio. Infelizmente a educação anda a passos lentos, vejo as tecnologias na educação da mesma forma que vocês, aqui onde moro o processo é muito lento, há muita resistência por parte dos educadores. Porém, vamos plantando pequenas sementes que irão germinar e dar muitos frutos, com certeza.
    Abraços a todos.
    Neura - Aluna da Especialização em Tecnologias - UFRGS - Eproinfo

    ResponderExcluir
  10. Olá pessoal,

    Pensar como além de espaço de aprendizagem e troca de saberes informais, as novas mídias podem ser elementos pedagógicos e pertencentes à prática docente. A internet, por sua vez, institui a possibilidade de dar voz a todos, de se buscar caminhos alternativos, de se escolher e pesquisar um assunto de interesse, de se ter acesso a trocas sobre os mais variados assuntos, de se tornar co-autor e transformar o discurso unilateral em hipertexto.
    Sou aluna da Especialização em Tecnologias - PROA 17- UFRGS – Eproinfo.

    Um abraço,

    Salete Asen

    ResponderExcluir
  11. Creio que o grande problema da internet esta na falta de conscientização dos alunos. Quando não percebem que a cópia e o plágio prejudicarão única e exclusivamente a eles. A internet é um grande poder e como disse o herói das estórias em quadrinhos “um grande poder implica em uma grande responsabilidade”. Essa responsabilidade deve ser inserida em suas mentes através dos pais e dos professores. Vejo a internet como aquela maçã que a Eva comeu. Mostrou a realidade nua e crua, encheu nossas vidas de reais, surreais e irreais conhecimentos. Cabe a nós usarmos os reais conhecimentos em nosso favor para alçarmos uma evolução mais significativa e boicotar os conhecimentos falsos e prejudiciais.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e participação.Volte outra vez, estarei esperando! Esse espaço é para a sua participação respeitosa e aberta.
Para publicar o comentário, escolha uma identidade (ID) entre as opções que aparecem. Caso tenha conta no google(gmail), escolha a primeira opção ou então escolha ;Nome/ URL;, basta preencher o nome, caso não possua nenhum endereço de blog próprio(URL)